Qual a sua personalidade?


Um dos temas que mais causava polêmica durante as aulas de psicologia era o conceito de personalidade e como medir e classificar algo tão complexo.


No mundo executivo tanto quanto de coaching, noto que a prática de classificar o tipo de personalidade é algo disseminado e pouco questionado. As pessoas aceitam o fato como algo normal e os resultados são, na maioria das vezes, colocados como a verdade sobre a pessoa avaliada.


Nos últimos anos também existe um movimento contrário a estas práticas, argumentando que o próprio conceito de reduzir uma pessoa complexa a alguma classificação é totalmente pseudo-científico.


Para aumentar a polêmica, muitos testes e avaliações são vendidos no mercado como teste de personalidade, o que por si é uma prática antiética e ilegal – gerando confusão ao consumidor. Tecnicamente um teste de personalidade não pode ser aplicado por ninguém que não seja psicólogo (o que nos EUA, por exemplo, significa apenas alguém com PhD em Psicologia).


Para os outros testes aplicados por aqueles que não são psicólogos, novos termos foram criados: avaliação de temperamentos, preferências, etc.


A questão é como estes testes são vistos pela própria psicologia.