A ditadura da felicidade


A DITADURA DA FELICIDADE - RHANDY DI STEFANO - COACHING

Ultimamente tenho visto muitas pessoas criticando livros de auto ajuda e a massificação de palestras motivacionais sobre felicidade. A crítica é que ser feliz virou quase uma exigência e nenhum outro estado emocional é aceitável.


As mídias sociais também não ajudam muito, pois o que se vê são milhões de selfies de pessoas sempre, felizes, alegres, comendo, viajando. Então, por comparação, qualquer pessoa que não esteja experimentando momentos assim se sente inadequada, se sente inferior.


Tudo isso recheado com as frases enlatadas de sempre. Seja feliz, Não desista nunca, Lute pelos seus sonhos. Como ninguém quer parecer menos que o outro, a tendência é se evitar falar de problemas, não se lidando com as dores de forma adequada.


A busca é por soluções rápidas, remédios com efeito rápido, pois se a pessoa não se sente feliz por si, então que compre algum remédio que faça isso por ela. Ou que busque alguma palestra motivacional com frases mágicas e superficiais.


A Farsa

Nesta busca de imagem de felicidade e perfeição, existe uma farsa existencial sendo criada. Isso me lembra as fotos de modelos publicadas em revistas após as imagens passarem por vários retoques, para retirar imperfeições. Para quem é ingênuo, acredita que a imagem que está vendo é real.


Por outro lado, os números não mentem. O Brasil é o país com a maior taxa de transtornos de ansiedade do mundo e a maior taxa de depressão da América Latina.


Isso nos faz pensar que apesar das frases motivacionais, está acontecendo o oposto – as pessoas estão infelizes sim, estão desistindo sim, estão abrindo mão de seus sonhos sim (ou nem sabem quais são seus sonhos).


Teorias para explicar es