Teoria Pipeline de Liderança – Como desenvolver líderes


Diante da necessidade de se reinventarem a todo momento e em busca por profissionais cada vez mais capacitados, as empresas modernas e bem-sucedidas passaram a adotar técnicas capazes de identificar líderes dentro das próprias organizações. A Teoria do Pipeline de Liderança tem se mostrado o modelo adotado mais eficaz no mundo corporativo para gestão e geração de resultados rápidos e duradouros.


Desenvolvida por Ram Charan, doutor pela universidade de Havard e autor de diversos best-sellers, como “O Jogo da Liderança” e “A Arte de Cultivar Líderes”, a Teoria do Pipeline de Liderança é uma vantagem competitiva para as empresas, que além de criarem programas de promoção e reconhecimento interno, aproveita o conteúdo de profissionais já com a visão dos negócios para liderar equipes.


Como funciona a Teoria do Pipeline de Liderança?

A Teoria trabalha com avaliações de competência dos profissionais para identificar o nível de liderança e auxiliar no desenvolvimento de novas habilidades. Através de um planejamento estratégico, com acompanhamento e técnicas de coaching, os colaboradores são inseridos em processos para evolução de carreira adaptados ao que a empresa procura formar.Três quesitos importantes devem ser observados no potencial líder:

Habilidades: se tem as competências exigidas para executar a nova função;

Adaptação de tempo: se consegue se adequar à nova grade de horário que o cargo de liderança exige;

Valores profissionais: se o novo líder é focado e está de acordo com as políticas da empresa.


O modelo permite o aumento de produtividade e resolução de conflitos a partir de um gerenciamento adequado de cada situação ou posição que os colaboradores ocupam nas empresas.


Transição da carreira na Teoria do Pipeline de Liderança

O nome Teoria do Pipeline de Liderança vem da metáfora ao que é o pipeline, um cano que se curva em seis pontos, representando as seis passagens que um profissional de alto nível vivencia ao longo da carreira dentro das empresas. Na teoria, as etapas de transição são:

  1. Gerenciar a si mesmo a gerenciar outros;