A busca da perfeição


Estamos constantemente cobrando perfeição pessoal e profissionalmente, de nós mesmos e dos outros. E mesmo quando relaxamos um pouco e 'esquecemos' de nos cobrar, tem o mundo social e mídias, que se encarregam de dizer a todo momento como você deve ser, como deve agir, o que deve pensar, como deve se comportar, o que vestir, onde ir, o que, quanto, quando e como comer, e quanto deve pesar, quais grupos deve frequentar, quais viagens deve fazer, e mais isso e mais aquilo...ufa!


E nesse mar de cobranças internas e influências externas, esquecemos da nossa própria e original humanidade: humanos não são perfeitos, e na tentativa sem fim de perfeição, acabamos nos esquecendo do mais importante que é viver o relacionamento mais essencial de todos, que é com nós mesmos.


Estamos na vida para experimentarmos a melhor versão de nós mesmos, e para chegarmos aí, obviamente passamos por muitos desafios, obstáculos e mudanças (leves ou bruscas) de rota. Não existe evolução sem superação e não existe superação sem obstáculos.


Na tentativa de sermos ou parecermos perfeitos, fingimos que alguns problemas não existem, tentamos passar por cima de alguns incômodos achando que isso fará com que desapareçam. Mas não, isso não acontece: a vida dá uma volta e a situação aparece novamente, e novamente, e novamente, tantas quantas vezes quanto forem necessárias até nós – nos sentindo preparados ou não – lidarmos com o assunto, da melhor maneira possível, com o melhor que temos de nós a oferecer naquele momento.


Somos únicos, lindamente originais, imperfeitamente perfeitos experimentando a vida!


Entender que as diferenças existem, é parar de exigir que todos sejam "tão bons como nós". entender e respeitar as diferenças vai muito além de irmo